duvidas frequentes

Bandeiras Tarifárias


O que são as bandeiras tarifárias?

Em janeiro de 2015, entrou em vigor em todo o País o sistema de bandeiras, que apresenta as seguintes modalidades: verde, amarela e vermelha – as mesmas cores dos semáforos. Elas indicam se haverá ou não acréscimo no valor da energia a ser repassada ao consumidor final, em função das condições de geração de eletricidade. Cada modalidade apresenta as seguintes características:

 

  •   Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo;
  •   Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre acréscimo de R$ 1,34 para cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos.
  •   Bandeira vermelha - Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 4,16 para cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos
  •   Bandeira vermelha - Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração. A tarifa sofre acréscimo de R$ 6,24 para cada 100 kWh (quilowatts-hora) consumidos

O sistema é gerenciado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Todos os consumidores cativos das distribuidoras são faturados pelo sistema de Bandeiras Tarifárias, com exceção daqueles localizados em sistemas isolados.

As bandeiras tarifárias são um custo extra na conta de energia?

As bandeiras tarifárias são uma forma diferente de apresentar um custo que já fazia parte da conta de energia, mas geralmente passava despercebido. Antes, os custos com compra de energia pelas distribuidoras eram incluídos apenas nos reajustes anuais da tarifa. Com as bandeiras, é feita a sinalização mensal do custo de geração da energia elétrica que será cobrada do consumidor, com acréscimo das bandeiras amarela e vermelha. Essa sinalização dá ao consumidor a oportunidade de adaptar seu consumo, se assim desejar.