Geral

Serviços ao
Consumidor

Notícias Celesc

24.04.19

Projeto Banho de Energia da Celesc beneficia famílias na Serra Catarinense

O calor do fogão à lenha é utilizado para aquecer a água do chuveiro, que também é reaproveitada para reduzir o consumo de energia

 

Mais de 4 mil famílias de áreas rurais e urbanas de baixa renda, em oito municípios catarinenses, são beneficiadas com a instalação de trocadores de calor para fogões à lenha e para chuveiro elétrico por meio do projeto Banho de Energia, que faz parte do Programa de Eficiência Energética da ANEEL/Celesc. Em sua terceira edição, o projeto está investindo R$ 9,5 milhões na instalação dos equipamentos e na substituição de lâmpadas antigas por LED. Os critérios para participação das famílias são definidos conforme a região selecionada, indicadores sociais e técnicos.

 

Nesta etapa do projeto, lançada no final de 2018, já foram instalados mais de 400 trocadores de calor em fogões à lenha, de um total de 875, e 2.700 trocadores de calor para chuveiro elétrico, do total de 4.250. Nos fogões, o trocador utiliza a fumaça para aquecimento de água e nos chuveiros é utilizada a água aquecida do próprio banho, garantindo menor consumo de energia elétrica e mais conforto nas atividades do dia a dia.

 

Beneficiada com a última edição do projeto, a moradora de Cerro Negro, Aparecida Leonel, contou que a iniciativa é importante na redução da conta de energia e que vai aplicar o valor economizado em melhorias na sua propriedade. Para Marlene Lima, de Urupema, as lâmpadas que recebeu e mais o trocador de calor para fogão já apresentaram economia na fatura de energia elétrica. “Tivemos uma redução de 20% e acredito que vamos baixar ainda mais a conta de luz aqui em casa”.

 

A instalação dos trocadores está priorizando famílias nas áreas rurais e de baixa renda dos  municípios de Anita Garibaldi, Abdon Batista, Correia Pinto, Lages, Otacílio Costa, Ponte Alta, Santa Cecília e São Cristóvão do Sul. “A execução desse projeto está concentrada no Planalto Serrano, por ser a região com as menores temperaturas do estado e o fogão a lenha fazer parte da cultura local. Aliás, o equipamento foi idealizado pensando na serra catarinense", conta o gerente da Divisão de P&D e Eficiência Energética da Celesc, Thiago Jeremias.

Boiler 1

 

 

Como parte da iniciativa, também já foram substituídas 21 mil lâmpadas tradicionais por lâmpadas LED em 4,2 mil unidades consumidoras. As novas lâmpadas são com 6,5 ou 8 Watts de potência e, até o fim desta edição do projeto, deverão ser substituídas 34 mil peças.

 

Economia

 

Na última edição do Banho de Energia, a economia no consumo foi de 2.140 MWh/ano, suficiente para abastecer 10.704 residências com energia elétrica por um mês. Também foi observada uma redução de 946 kW nos horários de ponta, o que equivale a potência de 200 chuveiros elétricos ligados ao mesmo tempo. A expectativa do projeto para esse ano é atingir uma economia de 2.960 MWh, equivalente ao abastecimento de 14.700 residências por mês. “A economia total proporcionada pelas ações na residência do consumidor poderá chegar até 30%, caso a família adote estratégias conscientes do uso de energia”, destaca Jeremias.

 

Como funciona

 

Criado pelo eletricista aposentado, José Alcindo Alano, o trocador de calor para fogões à lenha é um sistema que esquenta a água das residências utilizando o calor da fumaça a ser expelida pelas chaminés. No processo, o equipamento, composto por uma serpentina de aço inox, no interior de um tambor instalado na chaminé, aquece a água que é armazenada em um reservatório térmico instalado sobre o telhado. Essa água armazenada, já aquecida, fica disponível para ser distribuída nos chuveiros e torneiras. Outro benefício do sistema é a ampliação da eficiência do fogão, que permite a economia de lenha e a redução da emissão de cinza e de fuligem.

Trocador fogão 1

 

Nos chuveiros, o funcionamento é simples. Em vez de a água da caixa ou da rede de distribuição ir diretamente para o chuveiro, ela segue por uma mangueira e chega a uma plataforma de plástico instalada no chão do banheiro. Acoplada a essa plataforma existe um trocador de calor feito de alumínio que recupera o calor da água quente do banho e aquece, indiretamente, a água limpa no interior do trocador.

 WhatsApp Image 2019-04-16 at 12.27.05

A vantagem desse equipamento, é que a água chega ao chuveiro já pré-aquecida, com um ganho de 10 a 15ºC. Com isso, o chuveiro precisa de menos potência para aquecer a água. Nesse projeto, além da instalação do trocador de calor, é feita a troca do chuveiro tradicional, com potências que podem chegar a 7.000 W, por um chuveiro de potência reduzida (3.600 W). Assim, a economia de energia no banho pode chegar a 50%.

 

Prêmio Fritz Muller

 

A Primeira Edição do Projeto Banho de Energia, executado no ano de 2016, recebeu o Prêmio Fritz Muller na categoria Economia nos Insumos de Produção (Energia). O prêmio Fritz Muller é um dos maiores reconhecimentos ambientais do Estado e é concedido pela antiga Fundação do Meio Ambiente (Fatma), hoje Instituto de Meio Ambiente (IMA).

 

Por Rafael Vieira de Araujo (Comunicaz a serviço da Celesc)