Geral

Serviços ao
Consumidor

Notícias Celesc

21.03.19

Celesc anuncia orçamento de R$ 1 bilhão para 2019

Recursos serão destinados à ampliação, manutenção e operação do sistema elétrico

Florianópolis, 21 de março de 2019 – O presidente da Celesc, Cleicio Martins, apresentou, na tarde desta quinta-feira (21), o orçamento da Companhia para 2019, no montante de cerca de R$ 1bilhão. Os recursos serão utilizados para investimentos em geração e distribuição de energia e para o custeio das atividades operacionais e de apoio, além de P&D e Eficiência Energética.

“Estamos destinando recursos para investimentos estratégicos, que visam atender ao crescimento do mercado na nossa área de concessão (por meio da construção e a ampliação de subestações, por exemplo) e necessidades específicas do meio rural (com a substituição de redes monofásicas por redes trifásicas e a instalação de cabos protegidos), pleito antigo que beneficia diretamente o agronegócio, responsável por cerca de 30% do PIB catarinense”, explicou o presidente da Empresa, Cleicio Poleto Martins.

Também presente na coletiva, o governador Carlos Moisés afirmou que as ações são necessárias para manter a Celesc como uma empresa de economia mista com resultados positivos aos seus acionistas. “A partir de uma gestão austera e de qualidade, com investimentos onde realmente é necessário, a Celesc será cada vez mais valorizada e vai contribuir significativamente para a qualidade de vida das pessoas, das indústrias, da produção rural e dos serviços, como hospitais e comércios”.

IMG 1887

 


Mais da metade dos recursos anunciados será aplicada para ampliação, operação e manutenção do sistema elétrico, para onde serão destinados R$ 595 milhões, sendo:

- R$ 167 milhões no sistema de alta tensão (construção e ampliação de subestações + implantação de Linhas de Distribuição);


- R$ 234 milhões no sistema de média e baixa tensão (construção de alimentadores e extensão de redes, incluindo a implementação do programa , e de cabos protegidos);

- R$ 56 milhões em Geração (obras de ampliação do parque de geração própria, parceria para novos negócios);

- R$ 61 milhões na expansão comercial (ligação de novas unidades consumidoras, aquisição de medidores e etc);

- R$ 78 milhões para suporte da operação (TI, frota de veículos, edificações, itens de segurança);


Os investimentos no sistema de distribuição incluem, entre outras ações, a construção de sete novas subestação e ampliação de 13 subestações existentes; e a transformação de 618,5 quilômetros de rede monofásica para rede trifásica (Veja adiante mais informações a esse respeito, por região)

Parte dos recursos será destinada à ampliação do parque gerador da Empresa, em iniciativas como a ampliação em mais 7,2 MW a capacidade instalada da Usina Celso Ramos, em Faxinal dos Guedes, totalizando 12,6 MW de potência e a revitalização da Usina Maruim, patrimônio histórico catarinense localizado em São José.

Além disso, R$ 314 milhões serão aplicados na compra de materiais e na contratação de serviços, R$ 127 milhões na área de Pesquisa & Desenvolvimento e Eficiência Energética — em projetos da Chamada Púbica, programas como o Bônus Eficientes e o Energia do Bem, Iluminação Pública, Mobilidade Elétrica, Geração Eólica, Robótica, Meio Ambiente, entre outros.

O capital também prevê atender um antigo pleito do interior catarinense: a instalação de cabos protegidos e a transformação da atual rede monofásica para rede trifásica de energia.  “Estão planejado investimentos de cerca de R$ 50 milhões nesta alteração que irá garantir mais segurança ao produtor rural, contribuindo com toda a produção agrícola, agrária e industrial do nosso estado”, afirma Cleicio.


Conheça abaixo os recursos previstos para cada região

 

Núcleo Grande Capital – Florianópolis e região

- R$ 170 milhões:

- Destaque para construção de três novas subestações (Real Parque, em São José; Palhoça Caminho Novo, em Palhoça e Capoeiras, em Florianópolis), além da ampliação da subestação Ilha Sul, no bairro Campeche. As obras vão representar incremento de 10,7% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
- Transformação de 27 km de redes monofásicas para trifásicas.
- Eficientização energética da Iluminação Pública de Santo Amaro da Imperatriz.

 

Núcleo Alto Vale – região de Blumenau e Rio do Sul

- R$ 140 milhões:

- Destaque para construção de uma subestação (Brusque São Pedro, em Brusque), além da ampliação da subestação Gaspar. As obras vão representar incremento de 5,4% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
Transformação de 75,2 km de redes monofásicas para trifásicas. 
- Cabos Protegidos — instalação de 400 km de cabos protegidos na Unidade Rio do Sul.
Eficientização energética da Iluminação Pública de Pomerode e instalação de painéis fotovoltaicos na FURB, em Blumenau.

 

Núcleo Norte – Joinville, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Mafra e região

- R$ 170 milhões:

- Destaque para construção de duas novas subestações (Canoinhas Rio da Areia, em Canoinhas e Araquari Corveta, em Araquari), além da ampliação das subestações Canoinhas, Porto União, Joinville Vila Nova, em Joinville, e Jaraguá Nereu Ramos, em Jaraguá do Sul. As obras vão representar incremento de 6,4% na capacidade instalada do sistema elétrico na região. 
- Transformação de 117,1 km de redes monofásicas para trifásicas.
- Eficientização energética do Hospital Bethesda, em Joinville, e a instalação de sistema fotovoltaico na Univille, na mesma cidade.

 

Núcleo Planalto – Lages e região

- R$ 55 milhões:

- Transformação de 95,8 km de redes monofásicas para trifásicas.
Lançamento da 3ª edição do Programa Banho de Energia.

 

Núcleo Meio Oeste – Joaçaba, Videira e região

- R$ 80 milhões:

- Destaque para a ampliação da subestação Capinzal, que vai representar incremento de 3,2% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
Transformação de 58 km de redes monofásicas para trifásicas.
Eficientização energética da Iluminação Pública das cidades de Caçador, Fraiburgo e Campos Novos.

 

Núcleo Sul – Criciúma, Tubarão e região

- R$ 110 milhões:

- Destaque para a ampliação da subestação Siderópolis, da Subestação Imbituba, da Subestação Laguna, da Subestação Garopaba e aquisição de terreno para futura construção e instalação da Subestação Araranguá.  As obras vão representar incremento de 8,4% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
Transformação de 36,4 km de redes monofásicas para trifásicas.
Eficientização energética (Eficientização energética das instalações da UNESC).

 

Núcleo Leste – Itajaí e região

- R$ 75 milhões:

- Destaque para a ampliação da subestação Camboriú e da subestação Itapema. As obras vão representar incremento de 11,4% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
Transformação de 9,9 km de redes monofásicas para trifásicas.
Instalação de painéis fotovoltaicos na Univali, em Itajaí.

 

Núcleo Oeste – Chapecó, São Miguel do Oeste, Concórdia e região

- R$ 170 milhões:

- Destaque para construção de uma nova subestação (Chapecó Santo Antônio, em Chapecó), que vai representar incremento de 3,5% na capacidade instalada do sistema elétrico na região.
Transformação de 199,1 km de redes monofásicas para trifásicas.
Eficientização energética da Iluminação Pública das cidades de Itá e de Modelo e instalação de painéis fotovoltaicos na UNOESC.

 

Novo Modelo Organizacional da Celesc

A estrutura da Celesc por Agências Regionais foi idealizada em 2009 e não havia sofrido alterações desde então. Na época, a realidade era de 72 mil km de rede de média tensão, 142 mil transformadores e 2,11 milhões de unidades consumidoras em todo o estado. Na última atualização dos dados, em 2018, o cenário havia se transformado: 81 mil km de rede de média tensão, 177 mil transformadores e 3,03 milhões de unidades consumidoras em Santa Catarina.

O porte e a complexidade do sistema elétrico já não estavam mais compatíveis com a composição vigente até então e, com base em amplo estudo, foi estruturado, assim, um novo modelo organizacional que manteve os 16 pólos regionais do estado, porém com adequação de suas estruturas. “A nova configuração torna os processos internos mais ágeis, dinâmicos e uniformiza os procedimentos internos com o incremento das melhores práticas operacionais”, afirmou Cleicio. 

Dessa forma, a Empresa passa a contar com oito Núcleos que representam as macrorregiões Sul, Leste, Norte, Alto Vale, Meio Oeste, Oeste, Planalto e Grande Capital; e oito Unidades, localizadas em Tubarão, Videira, São Miguel do Oeste, Mafra, Jaraguá do Sul, São Bento do Sul, Rio do Sul e Concórdia.

 

imagem 2

Todas as Agências de Distribuição (AGDs) e as Lojas de Atendimento ao Consumidor permanecem vinculadas às antigas Agências Regionais, exatamente como era anteriormente, sem prejuízo algum aos consumidores e empregados da Celesc.

Sobre a Celesc

Prestes a completar 64 anos, a Celesc é uma das maiores companhias do Setor Elétrico brasileiro. E estruturada como Holding em 2006, a Companhia possui duas subsidiárias integrais: a Celesc Geração e a Celesc Distribuição. Atualmente, é 7ª maior Empresa em volume de energia fornecida e leva energia para mais de 3 milhões de Unidades Consumidoras em sua área de concessão, que atende 264 municípios em Santa Catarina e um no Paraná.

IMG 1780

 

Por Heda Wenzel (Comunicaz à serviço da Celesc).